Correção do FGTS: perdas de até 88,36%.

Entenda e lute contra mais uma arbitrariedade do Governo.

OBJETIVO:

Busca revisão da correção monetária aplicada sobre o FGTS. Tese criada pela Força Sindical para revisar os depósitos da conta FGTS dos brasileiros e combater a manipulação do Índice de reajuste do FGTS (TR) impondo a troca por outro indicador que reflita realmente a inflação.

O QUE ACONTECEU:

A partir de 1999 o dinheiro do trabalhador depositado no FGTS vem ficando defasado, pois a TR começou a ser reduzida gradativamente pelo Governo, até que, em Setembro/2012, chegou a zero. Ou seja, o dinheiro do trabalhador que está depositado no FGTS passou a ficar sem correção. As perdas podem chegar a 88,36%.

QUEM TEM DIREITO:

Todos brasileiros que tiveram depósitos na conta FGTS desde Janeiro/1999 até hoje.

QUAL A DOCUMENTAÇÃO:
  • Cópia do CPF e comprovante de residência (simples);
  • Extrato do FGTS, fornecido pela Caixa Econômica Federal (de Dezembro/1998 até os dias atuais); Obtenha aqui.
  • Taxa de interposição: R$ 50,00 (cinquenta reais).

Mais de 30 mil pessoas no Estado já entraram com processo judicial, confira a matéria do jornal A GAZETA.

  • Capa A GAZETA
  • Materia

Fundado em 1997, o escritório Pinto & Modenesi Advogados Associados possui foco no atendimento de causas individuais e coletivas, com vasta experiência nos mais diversos ramos do direito, em especial aos ligados as áreas cível, trabalhista e previdenciária.

Entre em contato conosco e agende um horário, será um prazer atende-lo.


    • Horário de atendimento:
    • 08:00 às 18:00 - De segunda à sexta-feira.
    • Tel: 27 3345-0233
    • Rua Eurico de Aguiar, nº 130, Sala 502/503
    • Ed. Blue Chip - Praia do Canto
    • CEP: 29.055-280, Vitória-ES

Veja também nossas outras teses: